Testemunho primeiro 

Após a 7 cirurgia na cabeça fui deixada no CTI sentindo muita dor na cabeça e da sonda urinária. Sabendo das vezes anteriores que passaria a noite em claro sentindo forte dor na cabeça, ainda que medicada, iniciei com fervor a “Ave Maria” e a dor era tamanha que não conseguia me recordar das palavras seguintes, repetindo:

“Ave Maria, cheia de Graça; Ave Maria, cheia de Graça...”

Então enxerguei no alto do meu leito uma luminosidade e dela caindo sobre meu corpo pontinhos de luz azulado-branco-dourado. Aquilo encantou-me.

E lá estava Ela de pé ao meu lado esquerdo.

Tinha o véu azul claro com branco, cabelos castanhos e as mãos em posição de oração como que velando por mim deitada naquele leito. Disse:

"Eu sou a Mãe Santíssima.” (Não conhecia essa denominação de Nossa Senhora)

Detive-me a contemplar aquela maravilha. Então notei acima dos meus olhos, sobre a testa (local da cirurgia) um forte feixe de luz azul-branco que descia do Alto. 

Maria disse:

“Receba, Luciana, as graças dos Céus que lhe são devidas.”

Naquele estado de profundo júbilo, pensei:

“Que coisa maravilhosa! Posso então passar a noite inteira em oração sendo útil aos demais mesmo de um leito de hospital... Como Deus é Bom e Magnânimo…”

Comecei a orar e dei-me conta de que era Dia de Ação de Graças (27 de novembro) e que Ela estava concedendo-me Graças.

Nossa Senhora em seguida mostrou o planeta e que Graças (pontinhos de luz azulado-branco-dourado) estavam naquele momento sendo derramadas em várias partes do mesmo. Eu ia agradecendo, pois sentia o quanto Ela era Generosíssima e Belíssima.

Ela disse:

“Você alcançou essas graças e está curada. Muitos oraram por você. Perceba as orações que foram a Mim endereçadas em suas intenções.”

Eu as percebi e eram muitas mesmo. Chamou-me atenção a quantidade vinda de pessoas que eu conhecera naquele tão curto período de internação e com quem eu havia construído um laço de afeto e auxílio mútuo sob o Evangelho de Cristo.

Acrescentou:

“Muitas almas desconhecidas foram salvas por meio das suas orações, quando você orou para que chegassem luz e graças aos que estavam no purgatório.”

Seguia com as visualizações contemplando-as em êxtase e imenso júbilo. Enquanto eu pedia pelas múltiplas necessidades humanas no planeta, Maria fez-me visualizar minhas orações alcançando naquele momento mulheres (muitas se despertando para não mais oferecerem seus corpos e sim os cobrirem) e homens (muitos se despertando para respeitarem as mulheres, freando em definitivo os abusos).

Disse:

“Essas Graças são alcançadas por meio de oração.”

Segui orando pelas crianças, mulheres grávidas, abortos, pessoas com depressão, enfermos, viciados, governantes... E pensei: “Se soubesse o quanto era importante, teria orado ainda mais nestes últimos dois meses e meio de hospital...”.

Permaneci durante tanto tempo recebendo Graças que confesso que até me incomodou um pouco, pois chegou num ponto em que senti que estava recebendo além do que merecia. Minha percepção foi do quanto os Céus eram Pródigos e Generosos em dar-nos Graças. Comprovava quão Misericordiosos eram - quão Bons, Piedosos e Generosos que ao começarem a nos dar Graças, não apenas nos dão, mas derramam-nas em abundância.

(Do livro Renascimento e Vida em Cristo)

Criado por Luciana Rapini com Wix.com

  • Facebook - RVC
  • Instagram RVC
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now